FÓRUM NACIONAL EÓLICO DISCUTE OPORTUNIDADES NA "INDÚSTRIA DO VENTO" NO BRASIL

Parque eólico em Areia Branca, RN (Foto: Aldo Almeida/Novo Portal)

O Rio Grande do Norte é referência na geração de energia eólica e conta, atualmente, com 138 parques eólicos instalados com capacidade de geração posta de 3.72 megawatts (MW) – correspondente a 84,76% dessa matriz energética local. É neste cenário que o estado recebe de 25 a 27 de julho o Fórum Nacional Eólico que vai discutir aspectos regulatórios, operacionais e da política setorial de um dos principais segmentos econômicos do Brasil. O evento acontece na Escola de Governo, em Natal, de 25 a 27 de julho.
Desde a sua primeira edição, em 2009, quando foi palco da assinatura do documento de compromisso que iniciou a grande arrancada do setor eólico brasileiro, o Fórum Nacional Eólico reúne as principais lideranças políticas e empresariais relacionadas com a chamada “indústria dos ventos”.

“O momento atual é de consolidação do setor da energia eólica brasileira. O RN é pioneiro por termos sido líderes desde os primeiros leilões”, afirmou o presidente do Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (Cerne), Jean-Paul Prates. “Temos um potencial ainda maior. Aprimorar negócios, o ambiente operacional e atrair mais empresas precisam estar entre as metas dos empresários e governo estadual para que consigamos ampliar a produção” apontou.

A programação subdivide-se em seções executivas, com reuniões fechadas pelas manhãs com a presença de autoridades políticas, empresários e investidores que debaterão questões específicas relacionadas à indústria eólica. Durante a tarde, o evento abre suas portas com palestras de interesse geral, para divulgar as novidades do setor, voltados aos empreendedores, gestores públicos, acadêmicos e todos os demais interessados em energia eólica.

Capacitação e emprego
A indústria de energia eólica deve gerar mais de 200 mil empregos no Brasil até 2026. Além de garantir luz acesa, os ventos também representam renda às famílias de muitos estados. Em 2016, o número de empregos diretos no setor passava de 150 mil. Diante desse cenário, o mercado de energia exige profissionais capacitados e qualificados para atender satisfatoriamente a demanda das empresas.

Diante disso, durante o Fórum, universidades, escolas técnicas, entidades educacionais e empresas levarão informações sobre cursos, estágios e outras oportunidades de ingresso no mercado.

Oportunidades

Durante o 10º Fórum Nacional Eólico será lançado o Supply Radar, um portal de negócios que conecta usinas e fornecedores do setor eólico. O projeto foi desenvolvido por um grupo de engenheiros que atuam em Natal pensando em tornar o mercado mais competitivo.


“Somos um catálogo completo para usinas eólicas e uma vitrine para os fornecedores. Pensamos em praticidade e agilidade, aliadas a informações confiáveis de soluções técnicas especializadas para aumentar a disponibilidade das usinas”, explica a CEO da empresa Aylla Santos.

G1 RN

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.