Indígena brasileiro leva “Nobel Alternativo” por luta pela Amazônia


São Paulo — O indígena brasileiro Davi Kopenawa foi um dos ganhadores do prêmio Right Livelihood Award de 2019, conhecido popularmente como o “Prêmio Nobel Alternativo”.

Segundo um comunicado da entidade, o prêmio considera a “corajosa determinação de Kopenawa  em proteger as florestas e a biodiversidade da Amazônia, e as terras e a cultura de seus povos indígenas”.

Para a instituição, Kopenawa “dedicou sua vida a proteger os direitos dos Yanomami, sua cultura e suas terras na Amazônia”. Fundador e presidente da Hutukara Associação Yanomami, em Roraima, o líder indígena denuncia o garimpo ilegal nas terras de sua tribo.

“Estou muito feliz em receber o prêmio. Vem na hora certa e é uma demonstração de confiança em mim e em Hutukara e em todos aqueles que defendem a floresta e o planeta Terra”, afirmou Kopenawa.

“O prêmio me dá forças para continuar a luta para defender a alma da floresta amazônica. Nós, os povos do planeta, precisamos preservar nossa herança cultural, como Omame [o Criador] ensinou: viver bem cuidando de nossa terra, para que as gerações futuras continuem a usá-la”, concluiu.

Além do indígena, também receberam a premiação, a sueca ativista ambiental, Greta Thunberg, Aminatou Haidar, defensora de direitos humanos no Marrocos, e a chinesa Guo Jianmei, advogada e ativista dos direitos das mulheres. Cada vencedor vai receber um prêmio em dinheiro no valor de 103 mil dólares.

Via Exame

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Furto na rede elétrica deixa mais de 8,8 mil imóveis sem luz em Areia Branca

Três grupos mostram interesse no Leilão do Porto Ilha

Homem é encontrado morto com sinais de espancamento em Areia Branca