Mulher de 42 anos com síndrome de down morre de Covid-19 em Mossoró; mãe de 84 anos está na UTI

Anaísa Silva de Castro tinha 42 anos e morreu de Covid-19 em Mossoró — Foto: Arquivo da família

Uma mulher de 42 anos de idade com síndrome de down morreu vítima da Covid-19 em Mossoró, Oeste potiguar. A mãe dela, de 84 anos, está internada na UTI com a doença e dois irmãos também foram infectados.

Anaísa Silva de Castro foi a óbito na terça-feira (21), mas a causa só foi confirmada nesta sexta (24) pela secretaria de saúde da cidade. Ela era diabética e hipertensa. Essa foi a 39ª morte provocada pelo novo coronavírus no Rio Grande do Norte.

“Princesa. Era assim que a gente chamava Anaísa. Uma pessoa carinhosa, amorosa, brincalhona, o xodó da família”, diz um dos irmãos dela, Airton de Castro, que também contraiu Covid-19.

Curado da doença, está em casa com outra irmã também infectada, mas que se recupera em isolamento, sem agravamento do quadro de saúde. Ao todo, são 10 irmãos, porém somente eles dois e Anaísa moravam com a mãe na mesma casa.

Airton conta que Anaísa de Castro sentiu os sintomas da doença no fim de semana passado. No hospital, os exames indicaram que havia suspeita de novo coronavírus e ela ficou internada. Depois foi encaminhada à UTI. A situação se agravou e, na terça, ela morreu.

Maria da Conceição de Castro, mãe de Anaísa, está internada desde a quinta-feira da semana passada, dia 16. Airton afirma que a idosa começou a sentir os sintomas da Covid-19 na terça-feira anterior, dia 14.
“Nós a levamos na UPA Belo Horizonte (Mossoró) e lá nos disseram que a falta de ar que ela sentia era ansiedade. Voltamos para casa. Na quinta, ela piorou”, relata o filho.

Na quinta-feira Maria da Conceição foi levada a outra Unidade de Pronto Atendimento na cidade, a do bairro Alto de São Manuel. “Lá viram a necessidade de interná-la na UTI e iam encaminhar ao Hospital Tarcísio Maia, mas não tinha vaga. Foi aí que decidimos levar para uma unidade privada”, lembra.

Ainda de acordo com Airton de Castro, assim que chegou ao hospital particular, a mãe foi colocada na Unidade de Terapia Intensiva e entubada. Maria da Conceição de Castro também sofre com diabetes e hipertensão.

Apesar da situação de saúde delicada, Airton diz que a mãe tem apresentado melhora, desde que deu entrada no hospital. “Aos poucos está precisando menos dos ventiladores mecânicos para respirar”, explica.

Como foi internada dias antes da filha e desde então está inconsciente, Maria da Conceição não sabe da morte de Anaísa. “Foi uma das coisas que ela mais recomendou antes de ir pro hospital, para não deixar minha irmã ser infectada pelo vírus. Ainda estamos vendo como contar para ela, quando ela sair de lá. Porque ela vai sair, será um milagre”, diz Airton.
Sobre o novo coronavírus, ele recomenda que as pessoas sigam as orientações das organizações de saúde, para conter a doença. “A dor tem tamanho, e é do tamanho do amor. As pessoas que não se preocupam com esse vírus é porque não atingiu quem eles amam. ‘Enquanto forem os vizinhos que estão passando por esse problema, está tudo bem, a dor não é minha’, assim pensa quem não está passando por isso”, desabafa.


Com conteúdo G1RN

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.