Por que Bolsonaro desistiu do churrasco das 10 mil mortes na pandemia


Presidente chocou o país ao organizar festinha no Alvorada na semana mais fúnebre da pandemia - foram 730 mortes nas últimas 24 horas

Por Robson Bonin
9 maio 2020, 19h21 - Publicado em 9 maio 2020, 19h17

Jair Bolsonaro só cancelou a festinha na churrasqueira do Palácio da Alvorada quando descobriu que, no mesmo horário, Davi Alcolumbre e Rodrigo Maia iriam decretar, no Congresso, luto de três dias pelos 10.627 brasileiros mortos pela pandemia de coronavírus.
A marca foi alcançada neste sábado, com mais 730 mortes, justamente quando o presidente colocaria a picanha e o pão de alho na grelha. Alcolumbre e Maia iriam pessoalmente, por volta de 14h, acompanhar o hasteamento, em meio-mastro, da Bandeira Nacional na frente ao Palácio do Congresso.

Desistiram porque a minguada manifestação bolsonarista que debochava das mortes na pandemia e afrontava o isolamento social já havia chegado nos arredores do Parlamento. Alvos prioritários dos bolsonaristas, os chefes da Câmara e do Senado não julgaram adequado estimular o confronto.
Bolsonaro pensa exclusivamente na sua reeleição. Ignora o número de mortos, porque “essa gente”, como ele costuma dizer, “morreria mesmo”. E daí?


Com conteúdo Veja

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Furto na rede elétrica deixa mais de 8,8 mil imóveis sem luz em Areia Branca

Três grupos mostram interesse no Leilão do Porto Ilha

Homem é encontrado morto com sinais de espancamento em Areia Branca