“Daremos golpe onde quisermos”, diz Musk após insinuações sobre a Bolívia


O bilionário da Tesla reage a seguidor no Twitter sobre suposto apoio à derrubada de Evo Morales para garantir o suprimento de lítio para carros elétricos

Por Da Redação

26 jul 2020, 12h14

O bilionário Elon Musk, fundador da Tesla, agitou as redes sociais ao não negar a acusação de que teria apoiado os Estados Unidos em um golpe na Bolívia para garantir o suprimento de lítio, material utilizado na bateria de seus carros elétricos. 

Respondendo no Twitter à provocação de um seguidor, que havia feito um post dizendo que o governo americano havia organizado um golpe para depor o presidente Evo Morales, para que a Tesla pudesse obter lítio do país sul-americano, o bilionário afirmou no sábado (25): “Vamos dar um golpe em quem quisermos! Lide com isso”.

O lítio é um metal encontrado em abundância em Uyuni, um imenso deserto no sul da Bolívia. É a maior jazida do mundo desse material de alta eficiência energética. Juntos, o triângulo formado por Chile, Bolívia e Argentina concentra cerca de 75% das reservas mundiais de lítio. O Chile é atualmente o principal produtor mundial, mas é a Bolívia quem tem o potencial de se tornar o maior fornecedor global desse metal precioso – o deserto de Uyuni abriga 50% de todo o lítio existente no planeta.

Esta não é a primeira vez que Musk causa polêmica no Twitter. Em abril, ele fez um post defendendo o fim do lockdown nos Estados Unidos, sob o argumento de que a pandemia do coronavírus já estava controlada. “Provavelmente haverá zero casos novos nos Estados Unidos até o final de abril”, afirmou no dia 29 daquele mês. Desde então, o país registrou mais de 3 milhões de novos casos de coronavírus. Atualmente, são quase 4,2 milhões de casos confirmados e 146.500 óbitos causados pela covid-19.

No dia 1º de maio, Musk voltou a agitar as redes sociais ao afirmar que “as ações da Tesla estão muito caras”. A declaração repercutiu imediatamente no mercado, e as cotações dos papéis da montadora caíram mais de 10%.

Essas perdas, no entanto, nem fizeram cócegas em Musk, sobretudo agora que a Tesla se tornou a montadora mais valiosa do mundo. No dia 1º. de julho, a fabricante de carros elétricos de Musk superou pela primeira vez o valor de mercado da japonesa Toyota. A Tesla está avaliada agora em 290 bilhões de dólares e registrou seu quarto trimestre seguido de lucros, mesmo com o fechamento de suas fábricas durante a pandemia. No dia 20 de julho, segundo a revista Forbes, Musk, que é dono também da empresa aeroespacial SpaceX, era a quinta pessoa mais rica do mundo, com uma fortuna de 74 bilhões de dólares. Quatro meses antes, Musk estava em 31º lugar na lista dos bilionários, com menos de 25 bilhões de dólares.

A fortuna de Musk agora é superior ao PIB da Bolívia (40 bilhões de dólares), país que, desde a deposição de Evo Morales, há quase nove meses, ainda não retornou à normalidade. Morales, que comandou o país de 2006 a 2019, foi tirado do poder após sua polêmica vitória nas eleições do ano passado, marcadas por suspeitas de fraude. A contestação do resultado por adversários e organismos internacionais deflagrou uma onda de protestos no país, culminando com a pressão das Forças Armadas para a renúncia de Morales, que deixou a Bolívia após obter asilo no México.

Uma nova eleição presidencial na Bolívia foi marcada para maio, mas a pandemia da covid-19 provocou um adiamento. A eleição está prevista agora para 18 de outubro.

Com conteúdo Exame

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.