Pastor é preso sob acusação de estuprar crianças em Manaus




O pastor Elido dos Santos Martins, de 43 anos, foi preso nesta sexta-feira (3/7) na Zona Norte de Manaus acusado de estuprar duas meninas de 8 e 13 anos. Segundo relatos, ambas são filhas de fiéis da igreja localizada no bairro Cidade de Deus. O caso é apurado pela Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca).

Os crimes foram em 2019 e estavam sendo investigados desde maio pela Polícia Civil.

No início deste mês, ele postou uma despedida dos fiéis nas redes sociais. Os policiais entenderam como uma ameaça de fuga e o mandado foi expedido. Agora, o homem será levado para a Central de Recebimento e Triagem (CRT).

A primeira denúncia foi feita em maio deste ano pela família da criança mais nova, que hoje tem 9 anos. Ela contou ao pai que, ainda em 2019, o pastor visitou a casa da família em um dia em que estava sozinha. De acordo com o relato registrado no boletim de ocorrência, a menina deixou que o homem entrasse julgando que ele não ofereceria riscos.

Depois que o caso veio à tona, a segunda vítima, de 13 anos, também se sentiu encorajada a denunciar.

Segundo informações da delegada titular da Depca, Joyce Coelho, a menina contou que era próxima das filhas do pastor e por isso frequentava a casa dele para participar de estudos bíblicos. O suspeito teria se aproveitado desses momentos para criar oportunidades de ficar sozinho com a vítima e cometer os abusos.

Segundo informações da delegada titular da Depca, Joyce Coelho, a menina contou que era próxima das filhas do pastor e por isso frequentava a casa dele para participar de estudos bíblicos. O suspeito teria se aproveitado desses momentos para criar oportunidades de ficar sozinho com a vítima e cometer os abusos.

Em 2015, o homem já tinha sido condenado pelo mesmo crime contra outras duas adolescentes. Em entrevista coletiva aos veículos locais, a delegada contou que era o “mesmo modus operandi”. Apesar disso, o pastor não havia começado a cumprir a sentença de 15 anos de prisão porque ainda recorria em liberdade. Sobre os casos atuais, a polícia investiga também as histórias de outras oito vítimas que surgiram nos últimos dias.

Com conteúdo Correio Braziliense

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.