Presidente do Banco do Brasil entrega carta de demissão a Bolsonaro


O comunicado está em fato relevante divulgado pelo banco na noite desta sexta-feira, 24

Por Victor Irajá

24 Jul 2020, 19h36 - Publicado em 24 Jul 2020, 19h02

O presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, pediu demissão ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro da Economia, Paulo Guedes, na noite desta sexta-feira, 24. O pedido de exoneração está em fato relevante divulgado pela instituição. “O Banco do Brasil (BB) comunica que o Sr. Rubem de Freitas Novaes entregou ao Exmo. Sr. Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro e ao Exmo. Ministro da Economia, Paulo Roberto Nunes Guedes, pedido de renúncia ao cargo de presidente do BB, com efeitos a partir de agosto, em data a ser definida e oportunamente comunicada ao mercado, entendendo que a Companhia precisa de renovação para enfrentar os momentos futuros de muitas inovações no sistema bancário”, escreveu o banco. Novaes alegou motivos pessoais, como a saudade dos netos para voltar ao Rio de Janeiro.

A instituição virou cerne de polêmicas envolvendo a veiculação de propaganda em sites bolsonaristas, que publicavam informações falsas. Em maio, o Sleeping Giants Brasil, um perfil no Twitter destinado a informar empresas que suas marcas estavam sendo anunciadas em sites de extrema-direita, alertou a instituição. À luz da exposição negativa, a conta oficial da instituição se retratou.

“Agradecemos o envio da informação, comunicamos que os anúncios de comunicação automática foram retirados e o referido site bloqueado. Repudiamos qualquer disseminação de fake news“, publicou a conta oficial da instituição na ocasião, para a fúria do filho vereador do presidente da República. “Marketing do Banco do Brasil pisoteia em mídia alternativa que traz verdades omitidas”, vociferou o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) numa rede social depois de o Banco do Brasil suspender as publicidades em um site lotado de informações falsas. Depois da prensa do filho do presidente, a instituição voltou atrás e retomou a veiculação de propagandas no veículo que apoia de forma obscura o presidente.

Na fatídica reunião ministerial do dia 22 de abril, tornada pública por decisão do ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, Paulo Guedes defendeu de forma boquirrota a privatização da estatal: “Tem de vender logo essa porra”, vaticinou o ministro. 

Economista, Rubem Novaes é doutor pela Universidade de Chicago (EUA) e já passou pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), além de ser ex-presidente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Com conteúdo Veja

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Furto na rede elétrica deixa mais de 8,8 mil imóveis sem luz em Areia Branca

Três grupos mostram interesse no Leilão do Porto Ilha

Homem é encontrado morto com sinais de espancamento em Areia Branca