Turistas se aglomeram sem máscaras na praia da Pipa durante feriadão

Multidão se aglomera na Praia da Pipa, em Tibau do Sul — Foto: Redes sociais

Uma multidão tomou as ruas da Praia da Pipa, em Tibau do Sul, litoral Sul potiguar, e gerou um aglomeração na noite de domingo (6), durante o feriadão da Independência, comemorado nesta segunda (7). As ruas foram tomadas por pessoas, a maioria sem máscaras, que frequentavam os bares e restaurantes das principais vias do distrito turístico.

O caso foi confirmado pela Polícia Militar. Em algumas imagens que circulam nas redes sociais, é possível ver viaturas da corporação passando pelo local. Questionado sobre o assunto, o comandante-geral da PM, coronel Alarico Azevedo, disse à Inter TV Cabugi que os policiais agiram no sentido de combate a furtos, roubos e na orientação à população, sobre uso de máscara e distanciamento. Para ele, a fiscalização caberia ao município.

"Nós já sabíamos dessa quantidade de pessoas que viria, porque sabíamos que os leitos dos hotéis estavam lotados. Estávamos lá desde a manhã entregando máscaras, buscando conscientizar a população, porque a gente gente sabia que à noite teria aquela aglomeração, devido às ruas serem estreitas, os bares serem um do lado do outro, e o decreto da prefeitura. A fiscalização cabe ao município e a PM está para auxiliar", afirmou.

Um decreto municipal que foi publicado na quinta-feira (3) definia que bares e restaurantes, bem como o comércio em geral poderiam funcionar até meia-noite, durante o feriadão. O texto proibia consumo de bebidas alcoólicas nos espaços e vias públicas, praças e demais equipamentos urbanos públicos, "bem como a utilização equipamentos sonoros ou execução de instrumentos musicais, de qualquer espécie, em qualquer horário, nesses locais, sob pena de multa a apreensão de material, a fim de evitar aglomerações e o descumprimento do uso obrigatório de máscaras".

Também foram estabelecidos valores de multas para aqueles que descumprissem o decreto: R$ 300 para pessoas físicas e de até R$ 3.000 para pessoas jurídicas. Segundo o decreto, as infrações poderiam ser constatadas "através de registro fotográfico, com aplicativo que registra data, hora e coordenadas, pelas autoridades competentes, com o apoio dos servidores públicos municipais".

O G1 tentou entrar em contato com a assessoria de imprensa do município, mas não teve ligações atendidas até a publicação desta matéria.


Com conteúdo G1RN

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Furto na rede elétrica deixa mais de 8,8 mil imóveis sem luz em Areia Branca

Três grupos mostram interesse no Leilão do Porto Ilha

Homem é encontrado morto com sinais de espancamento em Areia Branca