Em 38% das cidades do país só há candidato branco a prefeito


A Bahia é o Estado brasileiro com o maior porcentual de cidadãos que se declaram pretos, 17%, e conta ainda com 60% da população se identificando como parda. Mas, nas eleições deste ano, em 33 das 417 cidades baianas, apenas candidatos brancos disputam cargos de prefeito. Essa exclusividade nas eleições para o Executivo é uma realidade ainda bastante significativa no conjunto de municípios do País – neste ano, ocorre em 2.134 cidades. Ou seja, 38% só têm candidatos brancos, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Esta é a terceira eleição (a segunda municipal) em que o tribunal divulga dados sobre a raça dos candidatos. Em 2016, o número de cidades sem candidatos negros era ainda maior: 2.512 municípios, ou 45%. Mesmo onde não há exclusividade, os brancos ainda são em maior número, uma vez que, ao todo, 63% dos candidatos a prefeito se declaram assim. É um contraste em relação ao total da população do Brasil. Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra Domiciliar (Pnad) 2019, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 42% dos 209 milhões debrasileiros são brancos, 46,8% são pardos e 9,4%, pretos.

Uma das explicações para o cenário é uma dificuldade maior entre os candidatos negros em viabilizar financeiramente suas candidaturas, segundo especialistas. Outra é o fato de as cúpulas dos partidos políticos serem dominadas por homens brancos.

Neste ano, há previsão legal de que os partidos têm de distribuir proporcionalmente suas partes do fundo eleitoral por raça, de forma que, se a legenda tem 10% dos candidatos negros, eles receberão 10% da verba do fundo. Essa regra, no entanto, não vale para candidatos a prefeito, só para vereadores.

Embora as receitas das candidaturas ainda estejam sendo contabilizadas e os valores possam mudar até o dia 15, os dados preliminares do TSE mostram que, na média, um candidato branco tem R$ 69 mil para sua campanha, enquanto o negro, ou a soma de pretos e pardos, tem R$ 63 mil.


Fonte: Estadão Conteúdo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.