Servidor do governo do AM que tomou vacina indevidamente é exonerado



O governador do Amazonas Wilson Lima determinou a exoneração de um funcionário da Casa Civil que foi vacinado contra a covid-19 indevidamente. Nas redes sociais, o chefe do Executivo estadual deixou claro que não irá compactuar com esse tipo de procedimento.

As pessoas que furaram a fila para receber a primeira dose do imunizante contra a covid-19 no Amazonas estão proibidas pela Justiça de receber a segunda. A decisão foi assinada pela juíza Jaiza Maria Pinto Fraxe, da 1ª Vara da Justiça Federal. Caso insistam no ato, as pessoas estarão sujeitas à prisão em flagrante.

"Em razão da falta de explicação para os casos de pessoas que tomaram indevidamente a vacina, ficam todos proibidos de tomar a segunda dose, podendo ficar sujeitos à prisão em flagrante delito em caso de insistirem no ilícito", alegou a magistrada no despacho que foi assinado no último sábado (23).

Atendendo a uma decisão da Justiça Federal do Amazonas, a Prefeitura de Manaus divulgou hoje a lista de vacinados contra a covid-19. A listagem foi solicitada após indícios de que pessoas que não estão atuando na linha de frente do combate à covid-19 haviam se vacinado. Até a conclusão do processo de imunização em Manaus, os dados devem ser atualizados e publicados diariamente.


Investigações

As irmãs gêmeas recém-formadas em medicina, Gabrielle e Isabelle Kirk Maddy Lis, foram nomeadas nos dias 18 e 19 de janeiro como gerentes de projetos na Secretaria de Saúde. A família delas é dona de hospitais e universidades particulares em Manaus.

A suspeita do Ministério Público é que a nomeação foi articulada para que ambas pudessem ter acesso ao imunizante.

As gêmeas compartilharam nas redes sociais o momento em que foram vacinadas.


Com conteúdo UOL

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.