Porto do Mangue renasce com uma nova embalagem e aliados

Vista aérea de Porto do Mangue (Foto: Rodrigo Almeida)

A velha ideia do RN ter um novo Porto para atender as necessidades futuras na área de granéis, que chegou a ser estudada no outra margem do Potengi, volta a ser estudado em Porto do Mangue, aproveitando uma falha geológica que pode reduzir muito o investimento, consorciado com um mega polo off shore de energia eólica, aproveitando uma extensa área de mar raso.

Além do Governo do Estado, a UFRN está participando do projeto, que, agora de concreto, firmou um convênio para as licenças ambientais.

Depois de 14 anos, o Porto do Mangue se justifica pelo embarque de minério de ferro e sal, consorciado com um parque de geração de energia éolica.


Foi firmado um convênio para desenvolvimento de um conjunto de estudos econômicos, ambientais e da cadeia de valor visando o desenvolvimento tecnológico da infra-estrutura portuária para suporte do setor eólico offshore.


Com conteúdo TL - Tribuna do Norte

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Furto na rede elétrica deixa mais de 8,8 mil imóveis sem luz em Areia Branca

Três grupos mostram interesse no Leilão do Porto Ilha

Homem é encontrado morto com sinais de espancamento em Areia Branca