Atividade turística no Nordeste está quase em níveis de pré-pandemia, aponta estudo do BC

Caminho da Lagoa do Paraíso, em Jericoacoara, no Ceará. Atividade turística no Nordeste está quase em níveis de pré-pandemia, aponta estudo do BC Foto: Elisa Martins

BRASÍLIA — Entre as cinco regiões do país, o Nordeste é a que está registrando crescimento mais acentuado da recuperação na atividade turística e está apenas 0,4% abaixo do nível pré-pandemia, de acordo com um estudo do Banco Central (BC) divulgado nesta terça-feira.

Com um cenário de restrição de viagens internacionais e turismo de negócios ainda retraído, o documento aponta que a região tem se favorecido da alta no lazer interno. Em comparação, o Sudeste ainda está 23,7% abaixo do nível pré-pandemia.

“Informações sobre voos comerciais oriundas da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) mostram melhora mais acentuada no Nordeste, destacando-se os voos para aeroportos fora das capitais e mais próximos a importantes destinos turísticos (Porto Seguro, Ilhéus e Fernando de Noronha)”, aponta o estudo.

O setor turístico sofreu muito durante a pandemia com a necessidade de distanciamento social e começou a se recuperar no segundo trimestre de 2021, mas com características diferentes.

O documento aponta que houve uma recuperação mais acentuada na rede hoteleira de cidades com até 250 mil habitantes em todas as regiões.

“Esse fato é compatível com a hipótese de que as pessoas têm procurado destinos com atrações em espaços abertos, como praias em cidades menores, e ainda evitam aqueles com atividades em ambientes fechados ou aglomerados”, diz o documento.

Segundo o BC, o crescimento do setor visto nos últimos meses deve continuar em linha com o avanço da vacinação com “impactos relevantes” no nível de emprego. No Nordeste, o impacto é ainda mais significativo porque há uma maior participação do turismo no emprego formal.

Maior recuperação nos serviços

Outro estudo do Banco Central divulgado nesta terça-feira aponta que o turismo pode ter impulsionado a recuperação do consumo de serviços no Nordeste, que foi a mais rápida entre as regiões.

Além do turismo, o Auxílio Emergencial pago durante o ano auxiliou na manutenção de renda da região e pode ter ajudado no consumo.

"A recuperação ao longo do restante do ano foi mais intensa no Nordeste, refletindo possivelmente a maior importância relativa do Auxílio Emergencial (AE) na manutenção da renda das famílias da região", disse o estudo.


Com conteúdo O Globo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Furto na rede elétrica deixa mais de 8,8 mil imóveis sem luz em Areia Branca

Três grupos mostram interesse no Leilão do Porto Ilha

Homem é encontrado morto com sinais de espancamento em Areia Branca