Natal sanciona lei que proíbe agressores de mulheres em cargos públicos


A Prefeitura de Natal sancionou uma lei que proíbe que homens julgados e condenados por agressão contra mulheres possam assumir cargos públicos na cidade.
A decisão foi publicada ontem no Diário Oficial do Município. A lei, de número 7.015/2020, se baseia na Lei Maria da Penha (Lei Federal nº 11.340, de 7 de agosto de 2006) e é composta por três artigos.

Segundo o primeiro artigo, "fica vedado o acesso a cargos públicos no Município de Natal, no âmbito da administração direta e indireta, para agressores de mulheres e meninas".

"Inicia essa vedação com a condenação em decisão transitada em julgado, até o comprovado cumprimento da pena. Devendo ser atestada a idoneidade moral no ato da inscrição do concurso ou na entrega de documentos para posse de cargos em comissão de livre nomeação e exoneração", diz o primeiro parágrafo do Artigo 1º.
"O atestado de antecedentes criminais, documento que destaca a ausência de idoneidade deve está previsto em edital, em caso de concursos públicos e em lista oficial de documentos a serem entregues em caso de posse em cargos de livre nomeação e exoneração", acrescenta o segundo parágrafo.

Já o artigo segundo justifica que "a prática de violência contra mulheres e meninas constitui fator apto a demonstrar a ausência de idoneidade moral para a inscrição em certames de ordem pública e para todos os cargos em comissão de livre nomeação e exoneração, de pessoas que tivessem sido condenadas nas condições previstas no caput dessa lei".
Conforme o terceiro artigo, a lei já está em vigor na capital potiguar.


Com conteúdo UOL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Furto na rede elétrica deixa mais de 8,8 mil imóveis sem luz em Areia Branca

Três grupos mostram interesse no Leilão do Porto Ilha

Homem é encontrado morto com sinais de espancamento em Areia Branca