O “golpe” sem precedentes contra Edir Macedo e Universal em Angola


Um dos países mais estratégicos para a Igreja Universal fora do Brasil, Angola tem templos sob nova direção. Ou pelo menos 40% da operação da entidade no país. Um grupo de bispos e pastores da igreja criada por Edir Macedo assumiu o controle de 35 endereços localizados na capital, Luanda, e de 50 outras igrejas em cidades como Benguela.

Dentro na Universal, Macedo usa o termo “golpe” para se referir à ação ocorrida na segunda, 22. Os pastores de Angola criticam a direção da organização, por eles acusada de racismo, discriminação, abuso de autoridade, evasão de divisas e imposição de vasectomia em parte da equipe. A briga tornou-se pública no final de 2019 e culminou na ruptura definitiva.

O grupo de insurgentes diz que a entidade no país será chamada de Igreja Universal de Angola. Trata-se de um movimento sem precedentes na história da Universal. Os frutos do plano de expansão para o exterior da igreja de Macedo não são resultados de milagres: vieram de um planejamento cuidadoso, posto em prática a partir dos anos 80.

Atualmente, a instituição tem cerca de 2 800 templos espalhados por mais de 100 países. O continente africano se revelou o terreno mais fértil para esse crescimento formidável, concentrando hoje a maior parte da operação no exterior. O medo da Universal é que pastores de outros países também se rebelem. A situação na Costa do Marfim é considerada preocupante.

Com conteúdo Veja

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Furto na rede elétrica deixa mais de 8,8 mil imóveis sem luz em Areia Branca

Três grupos mostram interesse no Leilão do Porto Ilha

Homem é encontrado morto com sinais de espancamento em Areia Branca