167 milhões de contas vão receber parte do lucro do FGTS

— Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Cerca de 167 milhões de contas vão ser beneficiadas pela distribuição de R$ 7,5 bilhões do lucro obtido pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em 2019. A informação é da Caixa Econômica Federal, que vai detalhar quanto cada trabalhador vai receber por meio dessa medida a partir do próximo dia 31.

Todas as contas do FGTS que tinham algum saldo disponível em 31 de dezembro de 2019 serão contempladas pela divisão dos R$ 7,5 bilhões de lucro, que foi aprovada nesta terça-feira (11/08) pelo Conselho Curador do FGTS. O valor que será creditado em cada uma dessas contas, contudo, será proporcional ao saldo registrado no fim do ano passado.

Segundo a Caixa, o valor médio do crédito será de R$ 45. Porém, cada trabalhador vai poder consultar a parcela exata à qual terá direito a partir do próximo dia 31. A consulta deve ser feita por meio do extrato do FGTS, que está disponível no aplicativo do Fundo e no site da Caixa.

O banco, por sinal, também tem até o próximo dia 31 para creditar esses valores nas contas mantidas pelos trabalhadores no FGTS. O recurso, porém, só poderá ser sacado nas modalidades tradicionais de saque do Fundo. Isto é, em casos de demissão sem justa causa, aposentadoria, doença grave, financiamento imobiliário ou saque-aniversário.

Com o depósito, a rentabilidade do FGTS vai subir de 3% para 4,9% em 2019. A medida, portanto, garante um "ganho acima da inflação para o trabalhador", destacou o presidente da Caixa, Pedro Guimarães. "A rentabilidade alcançada pelo FGTS demonstra a boa gestão do Fundo e os benefícios gerados ao trabalhador brasileiro, que vão além da aplicação nos programas habitacionais, de saneamento, infraestrutura e saúde", comentou Guimarães.

Diferente do que ocorreu em 2018, quando 100% do lucro de R$ 12,22 bilhões foi repassado aos trabalhadores que têm contas no FGTS, contudo, o repasse desta vez não será integral. É que os R$ 7,5 bilhões que serão repassados aos cotistas representam 66% do lucro de R$ 11,23 bilhões do lucro de 2019 do FGTS.

A redução foi possível porque, no fim do ano passado, o presidente Jair Bolsonaro vetou o projeto que determinava a distribuição de 100% desses lucros e decidiu que o Conselho Curador do FGTS deveria definir a parcela desse repasse considerando a saúde financeira do fundo.

"O espírito é equilibrar duas políticas. A política habitacional de infraestrutura, que alimenta o setor produtivo, e, do outro lado, a remuneração positiva a esses trabalhadores", explicou o diretor do Departamento do FGTS do Ministério da Economia, Gustavo Tillmann, na reunião do Conselho Curador do FGTS que aprovou essa distribuição de lucros com os trabalhadores nesta terça-feira.

Com conteúdo Correio Braziliense

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Furto na rede elétrica deixa mais de 8,8 mil imóveis sem luz em Areia Branca

Três grupos mostram interesse no Leilão do Porto Ilha

Homem é encontrado morto com sinais de espancamento em Areia Branca