Hospital regional de Mossoró tem 30% dos leitos de UTI para Covid-19 bloqueados


A falta de técnicos de enfermagem fez com que 30% dos leitos de UTI para Covid-19 fossem bloqueados no Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM), em Mossoró. O problema vem acontecendo desde o dia 31 de julho, quando foram encerrados os contratos de 10 técnicos de enfermagem que prestavam serviço à unidade hospitalar. Com isso, as escalas ficaram desfalcadas.

Os leitos de UTI foram abertos em caráter emergencial através de um contrato do Governo do Estado com a Associação de Assistência e Proteção a Maternidade e a Infância de Mossoró (Apamim) para a convocação de enfermeiros e técnicos de enfermagem.

"No final de junho esse contrato foi restrito a 50%, porque começaram a chegar pessoas convocadas através de um processo seletivo feito pelo Estado. Agora, dia 31 de julho, os outros 50% de técnicos também encerraram os contratos. E alguns servidores contratados pelo processo seletivo também desistiram", explica a diretora do HRTM, Herbênia Ferreira.

Os leitos bloqueados, embora estejam equipados, não podem receber pacientes. Até as 19h desta terça-feira (4), segundo o portal Regula RN, o hospital continua com seis leitos nessa situação - número que corresponde a 30%. A taxa de ocupação chega a 85,7%, com 12 leitos ocupados, seis bloqueados e dois disponíveis. A unidade conta com 20 leitos de UTI específicos para o tratamento de pacientes com a Covid-19.

Diretora do HRTM, Herbênia Ferreira, fala das dificuldades para repor técnicos de enfermagem — Foto: Isaiana Santos/Inter TV

Segundo a direção, o hospital já tinha um déficit de servidores da saúde. Atualmente, o quadro de funcionários efetivos do HRTM é de 800 colaboradores. Com a pandemia, 110 servidores estão afastados por serem do grupo de risco, de atestado ou em teletrabalho. Ainda de acordo com a direção, seriam necessários cerca de 1.200 funcionários para dar suporte ao funcionamento de todos os setores.

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde Pública informou que já encaminhou profissionais para substituírem os técnicos que tiveram os contratos encerrados. Entretanto, mais de 30 profissionais desistiram. A Sesap disse também que está realizando um novo levantamento para repor a equipe o mais rápido possível, mas não deu prazo.

Com conteúdo G1RN

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Furto na rede elétrica deixa mais de 8,8 mil imóveis sem luz em Areia Branca

Três grupos mostram interesse no Leilão do Porto Ilha

Homem é encontrado morto com sinais de espancamento em Areia Branca