Novo terminal portuário em Porto do Mangue é tema de reunião na FIERN


Projetos e ações para a construção de um terminal portuário para escoar a produção do estado, no município de Porto do Mangue, foram apresentados em encontro realizado, na tarde da última segunda-feira (30/11), na Casa da Indústria, entre o presidente do Sistema FIERN, Amaro Sales de Araújo, que recebeu a visita do deputado federal Benes Leocádio, do diretor do Grupo Bi Energia, Lucio Bomfim, e dos secretários estaduais Jaime Calado (Sedec/RN) e Gustavo Rosado (SIN/RN).  A ideia é ampliar o volume de itens exportados pelo Rio Grande do Norte, aumentar a competitividade do estado, atrair investidores e viabilizar a produção offshore de energias renováveis.

O presidente Amaro Sales enfatizou o potencial do Rio Grande do Norte e a necessidade de destravar gargalos, como o de escoamento da produção, e lembrou que o Mais RN, que recentemente ganhou versão digital, reúne uma gama de informações e estudos técnicos que podem subsidiar investidores interessados em empreender no Rio Grande do Norte. “O Mais RN não pertence mais a FIERN, passou a ser de toda sociedade. E, ao contemplar todas as matrizes de desenvolvimento econômico, oportunidades e desafios, o projeto dispõe de uma base sedimentada para orientar investidores e ações públicas em diversas áreas”, destacou.

O governo do estado, segundo afirmou o secretário de infraestrutura Gustavo Rosado, trabalha, por meio da SIN e da Sedec, para viabilizar o novo terminal portuário do Estado. A ideia é aproveitar uma falha geológica identificada no entorno do município de Porto do Mangue, no litoral Norte Potiguar, para a construção da estrutura que irá movimentar cargas de sal, fruticultura irrigada, minérios, além de atender a indústria petroleira e de energias renováveis offshore. Para isso, há em curso um projeto de cooperação técnica em parceria com a UFRN para levantar a viabilidade técnica, financeira e ambiental. “Este novo terminal poderá mudar ou dividir o eixo de desenvolvimento do estado”, disse.

Jaime Calado, secretário de desenvolvimento econômico, ponderou ainda que mais que um porto graneleiro, a proposta é também atender as demandas da indústria de petróleo e gás, energias eólica e solar da região. “É um projeto de um porto-indústria de petróleo e energias”, afirma. Para isso, foi criado Grupo de Trabalho com setores do governo, empresas e academia. Segundo o secretário, o estado tem ainda a vantagem de possuir mão de obra qualificada em setores estratégicos como Petróleo, Gás e Energias Renováveis, formada pelo SENAI/RN e CTGAS-ER.

O deputado Benes Leocádio também destacou a importância de atrair novos investidores e realizar parcerias público-privadas para a construção do equipamento de forma a viabilizar investimentos importantes para o estado.

Durante o encontro, o diretor da BI Energia – uma holding de empresas italiana e belga, que atuam em geração de energia renovável através de parques eólicos offshore, bem como na dragagem de portos -, Lúcio Bonfim, fez uma breve apresentação da empresa, que se propõe a ser a primeira empresa brasileira a implantar um Parque Eólico Offshore na costa brasileira.



Também participaram da reunião, o coordenador do MAIS RN, José Bezerra Marinho, e o assessor de Economia, Pedro Albuquerque.


Com conteúdo FIERN

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.