Após atos de 7 de setembro, reprovação a Bolsonaro bate recorde, aponta Datafolha

Jair Bolsonaro Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo

SÃO PAULO — A reprovação ao governo do presidente Jair Bolsonaro bateu rercorde, de acordo pesquisa do Datafolha divulgada nesta quinta-feira. O índice dos que consideram a gestão ruim ou péssima chegou a 53%, o maior desde o início do mandato.  O número foi alcançado após os episódios do 7 de setembro, em que Bolsonaro fez ameaças ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), e depois recuou.

Em julho, a reprovação ao presidente era de 51%, o que indica que a elevação agora ocorreu dentro da margem de erro da pesquisa. Mas se for analisado o índice desde dezembro, a curva é de elevação. No final do ano passado, 32% consideravam o presidente ruim ou péssimo. 

O presidente é avalidado como bom ou ótimo por 22%, uma  oscilação negativa de dois pontos em relação aos 24% da pesquisa anterior. Bolsosnaro é considerado regular 24%, mesmo patamar verificado em julho.

A pesquisa do Datafolha foi realizada entre os dias 13 a 15 de setembro  e ouviu presencialmente 3.667 pessoas com mais de 16 anos, em 190 municípios do país. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos.

O levantamento ainda apontou um aumento da rejeição a Bolsonaro na faixa de renda entre cinco e dez salários míninos. O índice nesse grupo passou de 41% em julho para 50% agora. Entre as pessoas com mais de 60 anos, o percentual dos que rejeitam o presidente foi de 45% para 51%.


Com conteúdo O Globo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.