Psicóloga que defendeu “cura gay” tem registro profissional cassado


O Conselho Regional de Psicologia do Distrito Federal (CRP-DF) decidiu cassar, nesta sexta-feira (18/2), o registro profissional de Rozângela Alvez Justino. A decisão foi publicada no portal da entidade, na quinta-feira (17/2), e passou a valer desde então. O pedido foi impetrado pelo Ministério Público Federal (MPF) e pela Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transgêneros (ABGLT).

A psicóloga foi alvo de um processo disciplinar por defender a prática da chamada “cura gay”, metodologia que promete oferecer terapia de reversão sexual aos seus pacientes. Ela foi uma das autoras da ação que liberou o tratamento no país em 2017, e que logo em seguida deixou de valer.

Com isso, Rozângela Alves Justino está impedida de manter atendimento a pacientes em todo o país. Caso continue, pode responder por exercício ilegal da profissão. A reportagem tenta contato com a defesa da psicóloga. O espaço está aberto para manifestação.

Censura

A psicóloga chegou a ser censurada, em 2009, pelo Conselho Federal de Psicologia (CFM) em razão de oferecer a suposta terapia a seus pacientes. Ela também tentou concorrer ao comando nacional da entidade, mas a chapa foi derrotada em 2019.


Procurada, a presidente do Conselho Regional de Psicologia do DF, Thessa Guimarães, informou que, “tendo em vista a gravidade da penalidade e pelo processo ser originário do CRP-RJ, as informações serão em ato formal publicado no sítio eletrônico do Conselho, consoante estabelece a legislação específica”.


Com conteúdo Metrópoles

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Furto na rede elétrica deixa mais de 8,8 mil imóveis sem luz em Areia Branca

Três grupos mostram interesse no Leilão do Porto Ilha

Homem é encontrado morto com sinais de espancamento em Areia Branca