O segredo de Fátima

Governadora Fátima Bezerra Foto: Elisa Elsie para a revista Marie Claire

Quando surgiu em Atenas, a Democracia era muito mais simples. Para participar e tomar decisões na assembleia do povo, únicos requisitos: ser homem e proprietário de escravos.

Dois mil, seiscentos e vinte e dois anos depois, a prática serve de modelo para todas as  outras organizações da sociedade, nos quatro cantos deste esférico mundo.

De tanto mudar as regras do jogo democrático, na conveniência e interesse dos que passaram a elaborar  leis e ditar normas,  a próxima eleição brasileira aparece cheia de paradoxos para confundir o eleitor.

Agora mesmo, seis meses antes da escolha do governante, o povo potiguar vive um momento único na sua história.

Está pintando uma não disputa eleitoral. Por falta de adversários.

Não muito distante do consenso, analistas e cientistas políticos afirmam que o resultado da votação pode ser divulgado sem números.

Vai ser por WO.

Para os bretões, ocorre a vitória fácil quando  não aparece contendor para disputar o cargo.

Na aritmética papa-jerimum, 35% é percentual definitivo, intransponível e impossível de ser alcançado.

Nem o mais camarada dos  institutos de pesquisas divulgou posição mais favorável para a Governadora Fátima Bezerra, e  mesmo assim, nos balões de ensaio da mídia, surge uma  criatura híbrida que  não gore em poucos dias.

A primeira mulher de origem popular a ocupar o antes disputadíssimo cargo, deverá permanecer como a única, à exceção das congêneres que assumiram para os titulares trocarem de cadeiras com as do Senado, qual Luluzinha no misógino clube.

A posição da governadora  merece ser estudada por mestres versados  nos mistérios da Alquimia.

Alguém capaz de transformar  a folha de pagamentos dos servidores, em títulos de longo prazo, para resgate no mercado futuro da renovação dos mandatos.

Aquela que conduziu o enfrentamento da pandemia, sem adesão à moda dos hospitais de campanha, contou a instalação de leitos já existentes, comprou vacinas russas que nunca chegaram, caiu no conto do vigário de cinco milhões de reais em respiradores, e acabou  desobedecida nas tentativas de imposição de lockdowns, mas consegue ter o desempenho aprovado até pelos que rejeitam sua administração.

Sem cônjuge ou familiares que mais atrapalham que ajudam, imune a escândalos, com oposição pífia, não encontrou dificuldade em domar os tímidos  concorrentes.

Seu segredo não é difícil de ser desvendado.

Para Fátima, adversário bom é adversário companheiro de chapa.

O resto é nominata.


Com conteúdo Domicio Arruda/TL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Furto na rede elétrica deixa mais de 8,8 mil imóveis sem luz em Areia Branca

Três grupos mostram interesse no Leilão do Porto Ilha

Homem é encontrado morto com sinais de espancamento em Areia Branca